Rua Ministro Guimarães Natal, 564 - Qd. 30, Lt. 01, Sala 04 - Setor Crimeia Oeste - Goiânia/GO

  • (62) 99285-8614
  • (62) 98419-0068

Necessidade de gestão nas micro e pequenas empresas

Falta de conhecimento de gestão e de profissionais qualificados para administrar as micro e pequenas empresas inviabiliza a sua prosperidade e sucesso. Há a necessidade de valorização do administrador como ferramenta de sucesso nas empresas

No decorrer dos anos, no contato diário com empresários dos mais diversos segmentos de atividades sejam, indústrias, comércios ou serviços, deparamos com a mesma dificuldade entres estes empresários, independente do faturamento fiscal ou enquadramento tributário. A dificuldade ou a falta de habilidade de gerir a sua empresa. Muitos destes empresários possuem pouca instrução, muitos deles não possuem graduação e nem mesmo técnico em áreas afins e os que possuem tal curso de ensino superior não foram ensinados de forma adequada a gerir o seu negócio.

Somos incentivadores de que todas as graduações deveriam ter no mínimo uma matéria de gestão empresarial na sua grade curricular. Haverá muitos que vão dizer que isso inviabilizaria a função do gestor ou administrador nas instituições, mas discordamos totalmente dessa afirmação. Se um empresário tiver conhecimento básico de gestão sem ter a formação como administrador ou gestor com toda certeza dará valor e saberá a importância de se ter um profissional graduado no quadro de funcionários de sua empresa ou como consultor, pois verá que os seus resultados dependerão não só do volume de vendas ou serviços como muitos acreditam, mas sim de toda a administração da empresa.

Muitas dessas empresas não possuem um sistema de gestão comercial nem mesmo uma planilha financeira que possibilite o básico que é o controle de caixa. Alguns empresários não têm conhecimento de informática suficiente para o uso dessas ferramentas. Sendo assim, vivemos uma precariedade no que se diz respeito a conhecimento empresarial, o que inviabiliza a continuidade ou a prosperidade de muitos negócios levando a muitos a falir no primeiro ano de funcionamento ou ir no máximo até o segundo ano. Há uma cultura empresarial de que basta a empresa fazer um excelente serviço ou venda de produtos, ter um grande volume de serviços, ocasionando um faturamento razoável que a empresa está indo bem, que somente isso vai garantir o seu futuro. Como sempre digo: “Não basta fazer o serviço bem feito e ter uma boa carteira de clientes se não há uma gestão qualificada do negócio, pois há grandes chances da empresa estar fadada ao fracasso”.

“Até 2022, o Brasil terá cerca de 17,7 milhões de pequenos negócios, ou seja, mais de um milhão de novos empreendimentos por ano, de acordo com estimativa do Sebrae. Os pequenos negócios ainda respondem por mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Juntos, os cerca de 12,4 milhões de optantes pelo Simples Nacional representam 27% do PIB. Além  disso, as micro e pequenas empresas são as principais geradoras de riqueza no Comércio no Brasil, já que respondem por 53,4% do PIB desse setor.”  (Fonte: Agência Sebrae de Notícias)

Como podemos ver nos dados do Sebrae, há uma importância dessas empresas para a geração de riqueza para o País. Levando em conta o que foi dito anteriormente se torna de extrema importância manter-se a saúde financeira dessas empresas e para que isso ocorra o ideal é que seja alterado gradualmente a sua cultura no que diz respeito à gestão. Isso pode ser feito demonstrando através da atuação dos administradores nessas empresas em conjunto com os contadores que assim haverá obtenção de melhores resultados e continuidade da empresa no mercado, sempre contando com a colaboração de profissionais qualificados.

No decorrer dos anos, vimos que cada vez mais a figura de um consultor financeiro e de marketing tem se tornado necessário nos empreendimentos, ainda mais nas micro e pequenas empresas. Muitas delas não têm condições de ter no seu quadro de funcionários um administrador ou gestor, devido ao custo, mas sabem que é essencial ao seu negócio essa consultoria. Há uma grande demanda nesse mercado a ser explorada, mas falta é conhecimento aos empresários das suas reais necessidades, tornando assim primordial a mudança de cultura nas empresas. Cabe às instituições, assim como temos o exemplo do Sebrae, que faz um trabalho importante nesse sentido, deve haver uma valorização constante do administrador como ferramenta de sucesso.Também cabe ao CFA e aos CRA’s e até mesmo os profissionais buscarem essa valorização para que possam atender essa demanda do mercado.

“Grandes visionários são importantes; Grandes administradores são fundamentais.” (Tom Peters)

 

Israel Rodrigues, consultor empresarial, diretor executivo da ID+ Empresarial, sócio da Lince Contabilidade, administrador, especialista em finanças, pós graduado em Auditoria e Gestão de Tributos.