Rua Ministro Guimarães Natal, 564 - Qd. 30, Lt. 01, Sala 04 - Setor Crimeia Oeste - Goiânia/GO

  • (62) 99285-8614
  • (62) 98419-0068

ARTIGO | Impacto da crise econômica nas micro e pequenas empresas

O que é necessário para que esses empreendedores passem por esse cenário?

O impacto econômico nas micro e pequenas empresas é notório neste momento de incertezas e na crise que se instala. O governo tem tomado medidas para conter, ou melhor, amenizar este impacto, mas sabemos que isso não será suficiente para muitos empresários que em maioria, no nosso país, não tem o mínimo de gestão em seu negócio, principalmente aqueles que são chamados de empreendedores por “oportunidade” ou “necessidade” que não se preparam para passar por esse tipo de momento.

O que é necessário para que esses empreendedores passem por esse cenário? Primeiro é aderir aos programas do governo que possam amenizar os problemas. Segundo é fazer um planejamento estratégico e financeiro do seu negócio, por menor que seja, para identificar se realmente é uma opção manter a forma de operação que possua até o momento ou se convém buscar novos caminhos.

Faça um planejamento onde conste três possíveis cenários:

Cenário ruim: não conseguir vender seus produtos ou serviços por no mínimo 3 meses ou ter uma queda maior que 50% nas suas vendas, neste a opção seria de recorrer a empréstimos ou outras formas de obter recursos para manter seu negócio e manter a si mesmo já que depende totalmente da empresa para a sua subsistência, além de manter funcionários que sejam cruciais para operação do negócio, além de priorizar pagamentos que são estratégicos a operação da empresa, onde os demais deverão ser postergados e/ou renegociados.

Mas, atenção: não opte por empréstimos se não tem perspectiva de retomada do seu negócio, pois caso contrário poderá representar maior endividamento e, além disso, sempre compare taxas de juros dos bancos.

Cenário regular: sua empresa ainda consegue vender seus produtos e serviços, teve uma queda, mas consegue manter parte das vendas online com perspectiva de retomada gradual após a quarentena. A queda pode representar dificuldade de manter os custos do negócio nesse período, no entanto, deve-se priorizar o que é estratégico, como por exemplo: renegociar dívidas e poster pagamentos. Recorrer a empréstimo pode ser uma opção, mas também pode ser uma decisão de último caso, considerando esse cenário.

Cenário bom: seu negócio possui reserva suficiente para manter-se durante a crise econômica, consegue manter seu quadro de funcionários e possui clientela fidelizada. O empreendedor deverá extrair o máximo desse momento onde possivelmente alguns de seus concorrentes não estarão na mesma situação. Diante disso poderá se tornar mais competitivo e crescer nesse período. Busque fazer um planejamento do seu negócio de forma que possa readequar sua operação que pode estar ocorrendo em home office ou através de vendas online, migrar ou buscar novos canais de venda que antes não era uma opção e agora podem ser uma boa alternativa para investimento.

 

Israel Rodrigues, consultor empresarial, diretor executivo da ID+ Empresarial, sócio da Lince Contabilidade, administrador, especialista em finanças, pós graduado em Auditoria e Gestão de Tributos. Diretor Regional da ABCO.